Vivemos em uma sociedade de valores baixo e que desvalorizar a união de duas pessoas (sexo oposto), recentemente um amigo que amo muito, mas com valores baixo sobre casamento me fez a seguinte pergunta:

Se casamento é bom, por que precisa de testemunha? Nossa mente hoje geralmente é limitada a algumas respostas e ficamos desencorajados de tomarem atitudes corretas, por causa da pertubação que temos da mídia em sua grande massa

Quero explicar com poucas palavras, com explicações singelas, para isso falar um pouco sobre um fato que aconteceu com os judeus no tempo da rainha Ester. Se você não conhece a história pegue sua Bíblia e leia o livro de Ester que possui apenas 10 capítulos, pois não tenho o objetivo aqui de esgotar o assunto apenas falar o necessário.

Um inimigo dos judeus chamado Hamã naquela ocasião queria destruir todos os judeus, apenas por um conflito com um homem chamado Mardoqueu, ele não se contentou em querer destruir apenas Mardoqueu, mas todo os de mesma origem (tenho por mim que Hamã conseguiria destruir Mardoqueu se ele não quisesse destruir todo o restante dos judeus, outra observação aqui é que chega uma hora que todo mundo é originado de Adão e Adão de Deus). Felizmente o plano de Hamã foi por “água abaixo”, e seus intentos caiu sobre sua própria cabeça e os judeus apoderaram de seus inimigos e Mardoqueu foi honrado perante o rei, então foi publicado uma leia:

“E Mardoqueu escreveu estas coisas, e enviou cartas a todos os judeus que se achavam em todas as províncias do rei Assuero, aos de perto, e aos de longe, Ordenando-lhes que guardassem o dia catorze do mês de Adar, e o dia quinze do mesmo, todos os anos, Como os dias em que os judeus tiveram repouso dos seus inimigos, e o mês que se lhes mudou de tristeza em alegria, e de luto em dia de festa, para que os fizessem dias de banquetes e de alegria, e de mandarem presentes uns aos outros, e dádivas aos pobres. Por isso aqueles dias chamam Purim, do nome Pur; assim também por causa de todas as palavras daquela carta, e do que viram sobre isso, e do que lhes tinha sucedido, Confirmaram os judeus, e tomaram sobre si, e sobre a sua descendência, e sobre todos os que se achegassem a eles, que não se deixaria de guardar estes dois dias conforme ao que se escrevera deles, e segundo o seu tempo determinado, todos os anos. E que estes dias seriam lembrados e guardados em cada geração, família, província e cidade, e que esses dias de Purim não fossem revogados entre os judeus, e que a memória deles nunca teria fim entre os de sua descendência. Então a rainha Ester, filha de Abiail, e Mardoqueu, o judeu, escreveram com toda autoridade uma segunda vez, para confirmar a carta a respeito de Purim. E mandaram cartas a todos os judeus, às cento e vinte e sete províncias do reino de Assuero, com palavras de paz e verdade. Para confirmarem estes dias de Purim nos seus tempos determinados, como Mardoqueu, o judeu, e a rainha Ester lhes tinham estabelecido, e como eles mesmos já o tinham estabelecido sobre si e sobre a sua descendência, acerca do jejum e do seu clamor. E o mandado de Ester estabeleceu os sucessos daquele Purim; e escreveu-se no livro. Ester 9.20-22,26-32″

Tendo dito isso: vejam, eram dias de alegria, foi registrado para ser lembrado, para que aqueles momentos não fosse esquecidos, para que a memória nunca terem fim. Da mesma forma é um casamento, precisa ser registrado para não ser revogado, precisa de testemunha para que testemunhe a alegria dos noivos, para que este dia não seja esquecido no meio dos anos, para que fique registrado nos anais da história a felicidade de ambos.

Quando tem pessoas em um local e acontece um acidente ou alguma coisa, todos presentes são testemunhas, mesmo que eles não se disponham a ir, ou não vá, são testemunhas ocular.

Agora veja como a testemunha é para de fato testemunhar alegria:

“Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até que venha a achá-la? E achando-a, a põe sobre os seus ombros, gostoso; E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida. Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende. Lucas 15.4-10″

Conclusão: Testemunhas são para testemunhar alegria, que fique claro e entendido. Casamento é bom, é dádiva de Deus ao homem.

Fonte: Eu publiquei isso em meu blog pessoal, acessem: http://www.HenriqueReis.net